Reino das Brumas

REINO DAS BRUMAS

Capital: Mixacalli
Governo: Teocracia – Mestre de Guerra
Principais Divindades: Lótus (natureza), Miguel (guerra)

Lugares importantes
Figuras importantes

VISÃO GERAL

O Reino das Brumas está localizado na parte oeste da ilha-continente de Karuman . É constituído geograficamente de um grande tapete florestal e de extensos rios que a cortam de norte a sul. Ele também recebe uma rápida chuva todo final de tarde e sempre amanhece com uma cerração capaz de bloquear quase que completamente tudo que está no campo de visão de alguém, mas que vai se dissipando ao longo do dia. Mixacalli, a capital desta vasta área, assim como várias outras cidades ao longo do Vale dos Reis, foi encoberta por um espesso e contínuo nevoeiro durante um tempo incontável à maioria das criaturas do mundo conhecido. Somente há poucas gerações o vale voltou a ser habitado por humanos.

De acordo com a lenda da tribo dos bárbaros Lança-trovões, eles foram guiados até essa terra-além-das-montanhas por uma criatura de ascendência divina e elemental chamada Xintotec, que dispersou o que agora é chamado de Brumas do Guardião. Foram descobertas cidades inteiras, com grandes templos piramidais de pedra e vasta área de cultivo. Com a promessa de serem o povo escolhido para habitá-las, os Lança-trovões aos poucos foram abandonando costumes nômades e se estabeleceram ali, criando a cultura Neoteca.

Desde então, os Neotecas foram se tornando cada vez mais poderosos. Transformaram tribos humanas em aliados, e os orcs em força de trabalho nas minas de ouro que possuem. Possuem também Bestas e Gigantes Elementais em seu exército. Cultuam os deuses da guerra e da natureza – assim como os cinco guardiões dos elementos que servem de ponte de ligação com o deus da natureza: Kaak’ma (fogo), Luum’ma (terra), Ha’ma (água), Ik’ma (ar) e Xintotec (os quatro elementos).

Só recentemente foi considerado um reino de fato pelo resto do mundo, devido ao preconceito contra os ditos bárbaros. Possui uma relação neutra com os reinos de fora da ilha, chegando a comercializar vários produtos, como ouro, tintas naturais e algodão. Porém ainda trava batalhas por território e poder dentro de Karuman.

[[File:363487 | class=media-item-align-center | RdB01_-_S_mbolo_dos_Neotecas__mini_.jpg]]

HISTÓRIA ANTIGA

No passado, Karuman era governado por uma teocracia Genasi – raça de humanos que descendiam de elementais puros da natureza e possuíam parte das características de seus antepassados. Prezavam pelo conhecimento e as guerras só atrasariam sua ascensão ao plano divino. Mas se viram obrigados a entrar em conflito, algo que eles não estavam preparados. Após um longo período de guerra contra seus inimigos Abissais, os poucos membros de sua raça que não foram dizimados foram encurralados em sua última cidade, Mixacalli. Um dia, durante um eclipse que transformou o dia em noite, os sobreviventes Genasi subiram no topo de Altimon, seu maior templo, e concretizaram seu mais poderoso ritual: invocaram Colossos Elementais de terra e magma diretos do mundo primordial para proteger sua cidade. Mas isso exigiu mais força vital que eles possuíam, e acabaram pagando com suas próprias vidas. Mas seu ato não foi em vão: a força dos Abissais foi reduzida a tal ponto que tiveram que voltar a seu plano de origem, através de portais no centro da ilha, no Deserto Escarlate, que foram fechados logo em seguida.

Passado um dia depois da Batalha Colossal, em vez de a bruma diária daquela parte da ilha desaparecer como de costume, ela se espalhou, ficou mais forte, tóxica e durante séculos não sumiu mais. Em pé, no mais alto ponto de Altimon, uma criança que possuía as marcas os quatro elementos na pele erguia suas mãos e chorava copiosamente enquanto via sua cidade natal ser apagada do mapa depois de tanto sofrimento. E desde então os segredos do povo elemental foram mantidos a salvo de invasores.

[[File:363487 | class=media-item-align-center | RdB01_-_S_mbolo_dos_Neotecas__mini_.jpg]]

HISTÓRIA RECENTE

Por eras não houve um governo central, mas sim dúzias de tribos bárbaras humanas e goblinóides menores que brigavam constantemente entre si por espaço. Mas uma tribo humana se destacava militarmente dentre as demais: os Lança-trovões. Contavam com a ajuda do poderoso Xintotec, um ser místico que era considerado o avatar patrono da guerra pela tribo. Xintotec os ensinou a forjar armas melhores e técnicas mais ferozes de batalha, o que foi a diferença para seu sucesso. Com sua liderança, durante anos os Lança-trovões derrotaram diversas tribos da ilha, até que algumas outras foram se rendendo e se unindo aos vencedores.

Segundo a lenda, quando Xintotec decidiu que os Lança-trovões estavam preparados, ele levou seu conselho de anciões à entrada da cidade enevoada e contou a história do antigo povo que a habitava anteriormente. Disse que somente um ser poderia dissipar tudo aquilo da região, o mesmo que a escondeu. Como um raio, ele saltou em direção à névoa e com um golpe no solo com seu tacape lendário, toda a bruma se extinguiu, imensas pedras receberam vida e o conselho ficou boquiaberto com a situação. E então presenteou o conselho com o Cetro do Poder e explicou que os poucos elementais que restaram ficaram em hibernação mas serão leais a eles enquanto eles possuíssem o cetro. Ele precisava de um povo guerreiro para proteger a cidade, enquanto aos poucos o mesmo povo descobriria os segredos místicos de seus velhos habitantes. Mas que para isso eles deveriam descobrir sozinhos o novo caminho a percorrer, e disse que voltaria no momento certo, e sumiu.

Desde então, os Lança-trovões mesclaram sua cultura com a dos Genasi e vêm dominando os povos de Karuman e os transformando, mesmo contra sua vontade em parte do império, implementando assim a cultura Neoteca.

Reino das Brumas

Metal Contra as Nuvens Tefllon